Logo topo

    Segunda, 28 Dezembro 2020 19:32

    As escolas vão retornar com as aulas presenciais no início de 2021?

    Escrito por José Eugênio Rocha

    A interrupção das aulas presenciais por quase um ano já é fato consumado, e se apresenta como uma das consequências mais danosas da pandemia. Milhões de estudantes, sobretudo os das camadas mais pobres, sofrem um verdadeiro trauma em sua formação ao ficarem por meses sem estudar ou serem submetidos a aulas a distância improvisadas.

    A reabertura das escolas deveria ser tratada como uma prioridade de estados e municípios. Infelizmente, o que se observa é uma forte resistência, tanto pelas autoridades como pelos pais de alunos. Abrem-se templos, bares... mas não escolas.

    Entretanto o recrudescimento ora observado da Covid-19, somado ao fato de ainda não haver vacina disponível, traz o risco de interrupção ou retrocesso desse movimento, o que não permite descartar a necessidade do ensino não presencial nos próximos meses.

    Já não há mais como evitar que as escolas permaneçam fechadas até o final de 2020. Além do tempo já esgotado, o clima ainda é de apreensão, Em recente consulta aos pais de alunos, quase a totalidade deles, cerca de 90% dos entrevistados, manifestaram-se contrários ao retorno às aulas neste ano. Levando ainda em conta que uma Lei municipal decretou a suspensão do ano letivo até dezembro, a Secretaria Municipal de Educação já descartou a possibilidade de aulas presenciais em 2020.

    Como afirmou a Secretária Municipal de Educação, Christiene Alves, esta decisão foi tomada conjuntamente entre as escolas municipais, estaduais e particulares do município: "foi formada uma comissão de gerenciamento da Pandemia, e lá ficou decidido que todos os estabelecimentos de ensino seguiriam a mesma orientação, que no caso, optou-se por manter as escolas fechadas até que haja condição de segurança para os alunos e profissionais da área" disse ela. 

    Quanto a 2021, as perspectivas de retorno às aulas estão em suspenso. Como a Pandemia ainda não está sob controle, e a tão aguardada vacina permanece em fase de testes, sem previsão de quando será liberada. As aulas presenciais e o início do ano letivo dependem de autorização da Prefeitura, através de sua secretaria municipal de saúde, que aliás, deve publicar um novo decreto em janeiro, mantendo ou não a suspensão das aulas. Assim, ainda não é possível determinar se em fevereiro os alunos voltam ou não às escolas. Há, no entanto, várias possibilidades em estudo , mesclando, por exemplo, aulas presenciais com aulas remotas. 

    O quadro de instabilidade e incertezas é ainda mais reforçado com as recentes notícias do aumento de casos no Brasil, inclusive, em Minas Gerais. Há um temor de que justamente na passagem de ano, sejamos atingidos por uma segunda onda de contaminação, o que dificultaria ainda mais o retorno às aulas em fevereiro, mês que tradicionalmente marca o início do ano letivo.

    Medidas sanitárias nas escolas

    Como explicou Christiene Alves na reportagem, , enquanto perdurar a Pandemia, uma das obrigatoriedades antes que as escolas possam reabrir suas portas e receber os alunos, é que a Vigilância sanitária oriente e fiscalize a adoção de medidas de prevenção ao Coronavírus, conforme determinam os protocolos oficiais, tanto da Secretaria estadual como municipal de saúde. O orgão de Vigilância já está recebendo pedidos de visita aos estabelecimentos de ensino, inclusive os particulares. Se todas as recomendações estiverem devidamente de acordo com os protocolos, o estabelecimento em questão, já estará em condições de receber os alunos. Evidente, que as medidas de prevenção incluem o devido distancimento entre alunos, uso de máscaras, álcool gel, etc.

    Encontre-nos

    Edição atual

    jd133 capa

    © 2020 Jornal DAQUI - Todos os direitos reservados.