Logo topo

    Quinta, 10 Janeiro 2019 19:39

    O inédito Selo de indicação geográfica deve agregar valor a produtos da região

    Escrito por José Eugênio Rocha

    A classe produtora da região mantém em alta a expectativa de ver finalmente consolidado o reconhecimento de que a cenoura, o abacate, o alho e a batata aqui cultivados, obedecem a um rigoroso padrão de qualidade, além de se destacar pelas condições geográficas, próprias da região. O assunto foi tema de uma reportagem veiculada recentemente pela TV Integração, afiliada da rede Globo. Além de entrevistas com produtores a matéria destacou estar em vias de conclusão um reconhecimento até então inédito no país: "Uma combinação de solo, clima, tecnologia e mão de obra especializada pode fazer da região de São Gotardo a primeira do país a conquistar o selo de indicação geográfica na produção de Hortifruti. O registro, concedido pelo INPI, é uma forma de garantir que os produtos são mesmo de uma determinada região e possuem origem específica devido a características geográficas do lugar."

    O tão aguardado Selo de Qualidade deve oficializar o status já conferido e reconhecido pelo exigente mercado consumidor. Seguindo uma tendência mundial, também no Brasil, o público consumidor tem demonstrado maior interesse em saber e conhecer sobre as origens do produto.

    Logo que deu início, há cerca de 30 anos atrás, o processo de produção de leguminosas - e posteriormente de frutas, como o abacate - a região passou a ocupar papel de destaque como origem de produtos de qualidade diferenciada. Ao longo das últimas décadas esta posição foi se consolidando graças a uma série de fatores como, investimento em tecnologia, responsabilidade socioambiental, treinamentos, rotação de culturas, uso mínimo de defensivos, etc.

    O Selo de certificação de qualidade e origem, já vem sendo utilizado em caráter provisório nas embalagens dos produtos. Ele dá mais credibilidade ao garantir sua origem de uma determinada região. Isso significa uma segurança a mais para o consumidor. Através da leitura de um código impresso no selo é possível acessar várias informações sobre o produto, o produtor, a fazenda e a região. Todo este processo pode facilitar a região de São Gotardo obter a indicação geográfica na produção de Hortifruti. O registro, concedido pelo Instituto Nacional de propriedade industrial é uma forma de garantir a qualidade, as características e comprovar que os produtos são mesmo de uma determinada região específica.

    A marca Região de São Gotardo é hoje composta por seis municípios: São Gotardo, Rio Paranaíba, Matutina, Tiros, Ibiá e Campos Altos. Entre as características que tornam os produtos diferenciados destaca-se a altitude: 1.100 metros do nível do mar.

    "Região de São Gotardo" - A  consolidação de uma marca

    Dois fatores foram de-terminantes para levar à frente a ideia de se criar uma marca única para os produtores. O primeiro deles é a estrutura organizacional que reúne em duas grandes cooperativas agrícolas cerca de 350 produtores e empresas. O segundo fator é a utilização de normas técnicas uniformizadas de cultivo.

    Através de uma parceria entre o Sebrae, a Coopacer, Coopadap e o Sindicato dos Produtores Rurais foi criado o Conselho Regulador da Região de São Gotardo. Este orgão passou então a centralizar, em caráter representativo, o projeto de criação e implementação do selo de qualidade.

    A genealogia de uma marca

    A horticultura ensaiou os primeiros passos no início da década de 80. O cultivo da cenoura, como carro-chefe, abriu as portas para novo modelo de produção, que não tardou a incluir no cardápio outras leguminosas como batata, beterraba, cebola, etc. Em ato contínuo, na década seguinte, novas experiências com o cultivo de frutas, em especial o abacate, confirmaram a vocação do PADAP para a diversidade. Este ciclo, sempre inclusivo, culminou mais recentemente, com a incorporação do Alho na extensa cesta de produtos. Na esteira deste processo as leis de mercado certificaram o seu padrão superior de qualidade, abrindo as portas dos grandes centros consumidores para os produtos colhidos aqui na região.

    No entanto, esta aceitação ainda esbarrava na ausência de um selo de identificação que pudesse atestar a origem e o padrão de qualidade dos produtos. Em 2010, o Sebrae implantou na região o Programa de Gestão Avan-çada (PGA), que propôs controle de indicadores como custo, produtividade, vendas e faturamento, o que fomentou o aumento da produtividade local, possibilitando a criação da marca própria. Este programa reforça a ideia da busca de indicação geográfica e dos conceitos de origem e qualidade dos produtos. Preparado o terreno deu-se início a um meticuloso estudo para a criação e implementação da nova marca.

     

     

     

    loading...
    + Lidas do mês
    Tem Agrotóxico na água que abastece São Gotardo?
    Municipalizar o Trânsito de São Gotardo. Caminhos e desafios.
    Os contrastes das duas praças centrais
    COPASA se posiciona sobre Agrotóxico na água
    Isenção de multa sobre impostos municipais aguarda decisão judicial

    Encontre-nos

    Edição atual

    jd113 capa

    © 2019 Jornal DAQUI - Todos os direitos reservados.