Logo topo

    Terça, 19 Fevereiro 2019 23:08

    Municípios da região sofrem com serviços prestados pela COPASA

    Escrito por Daniel Paiva

    Nos últimos meses uma grande parcela da população das cidades de São Gotardo, Matutina e Tiros, vem sofrendo com sucessivos problemas apresentados pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), empresa detentora da concessão dos serviços de abastecimento nessas cidades. As maiores reclamações dos cidadãos estão relacionadas a qualidade da água, que sai nas torneiras muitas vezes “barrenta”, e a falta de água (desabastecimento) que ocorre cotidianamente em alguns pontos dessas cidades.

    Nesse período foram diversas as reclamações feitas por meio das redes sociais e para com os representantes do executivo e legislativo dessas cidades. Com o objetivo de buscar informações que possam tranquilizar os consumidores, a reportagem do jornal Daqui SG questionou os representantes da Copasa, que estavam em São Gotardo para tratar da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), sobre o que está sendo feito para corrigir esses problemas.


    São Gotardo

    Em São Gotardo, por exemplo, há reclamações oriundas de diversos bairros com relação a água barrenta saindo das torneiras. Segundo o gerente de Distrito Regional Araxá, Geraldo Magela Mendes, o problema já está sendo analisado pela Copasa. Ele afirmou que a empresa irá avaliar alguns pontos da cidade na busca do problema. “Já constatamos que não é um problema de tratamento da água, mas pode ser algum problema pontual em um reservatório”, exemplificou o gerente. Magela também não descarta que o problema possa ter sido ocasionado por uma fissura na rede de abastecimento, mas que todas as possibilidades serão avaliadas.

    Na oportunidade, o técnico em Química da Copasa, Lázaro Hamilton, que é o responsável pela análise da água na cidade, tranquilizou os moradores dizendo que a água é de qualidade e que foi feita uma análise independente, por um laboratório de São Paulo, cujos laudos foram encaminhados para o Ministério Público.


    Matutina

    Chegar em casa do tra-balho e ver que não há água na rede da Copasa já é costume em Matutina. Nos últimos meses o desabastecimento tem afetado a maior parte da cidade, quase sem-pre no período da tarde. Esse problema afeta diretamente aquelas famílias que passam o dia fora no trabalho e, quando tem tempo para executar as tarefas domésticas, constatam essa falta de água.

    Geraldo Magela Mendes explicou a reportagem do jornal que não há, por parte da gerencia Regional, nenhuma determinação para que seja feita qualquer paralisação no abastecimento e que iria entrar em contato com os responsáveis para resolver essa situação. Ele explicou, inclusive, que a utilização do poço artesiano, obra feita na cidade, só será necessária caso haja falta de água, principalmente no período de seca.

    Na cidade também houve diversas reclamações com relação à água barrenta nas torneiras o que, segundo a Copasa, também será investigado.

     

    Tiros

    Já em Tiros os problemas não são diferentes, pois na cidade foram constatados problemas com o desabastecimento em vários pontos. O gerente de Distrito Regional Araxá, Geraldo Magela Mendes, explica que uma das maiores dificuldades da companhia em manter o serviço de qualidade está relacionada a energia elétrica. Segundo ele, com a queda da tensão diversos equipamentos queimam e, mesmo com a utilização de geradores, complica o abastecimento. Magela citou ainda um problema com a adutora, no mês de dezembro, que também complicou os serviços gerando as reclamações. Segundo a Prefeitura de Tiros, as obras necessárias para solucionar o problema com a energia elétrica estão sendo executadas.

    Em Tiros ainda há um agravante, pois a renovação da concessão da Copasa, vencida desde 2015, continua sendo discutida entre as partes gerando insegurança na população. Segundo o prefeito André Praxedão (MDB), a tendência é de que a renovação com a Copasa seja assinada, mas para isso ele exige que diversas questões como a ampliação do sistema e aumento da vazão de água estejam explícitas no contrato o que garantiria, assim, melhores serviços no futuro para a população a cidade.

     

    Encontre-nos

    Edição atual

    jd115 capa

    © 2019 Jornal DAQUI - Todos os direitos reservados.